Repúdio a possível retirada de recursos do SEBRAE

Edson Campagnolo

O Conselho Deliberativo do Sebrae/PR divulgou, na segunda-feira, 20, em Curitiba, um manifesto em que repudia a possibilidade de destinação de recursos da entidade para a criação de uma agência de promoção internacional do turismo. A proposta, que seria objeto de Medida Provisória do Governo Federal, retiraria cerca de R$ 200 milhões do orçamento do Sebrae a cada ano.
O documento, enviado ao Presidente da República, Michel Temer, foi assinado pelo presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, Edson Campagnolo (foto)– que também preside a FIEP-Federação das Indústrias do Paraná -, é questiona especialmente o momento em que a medida pode ser adotada. “No cenário recessivo em que vivemos, subtrair recursos de um sistema que promove o empreendedorismo e auxilia micro e pequenas empresas é temerário”, diz o texto. O Conselho afirma ainda que o Sebrae é parceiro de várias iniciativas e projetos que apoiam o incremento do turismo no País, inclusive no Paraná. E que o Brasil já possui entidades que desempenham a missão de fomento ao turismo, como a Embratur e a Apex. “Recorrer aos recursos de uma entidade como o Sebrae, que promove o desenvolvimento a partir dos pequenos negócios, não é uma medida estratégica para o País em qualquer momento, ainda mais neste período de crise que enfrentamos”, enfatiza o manifesto.
É preciso mudar
A medida, se concretizada, será um verdadeiro desastre, pois o SEBRAE é uma das poucas entidades, no País, que funciona, e funciona bem, inclusive na área de turismo. Ademais, conforme antigo e conhecido dito popular, seria vestir um santo e desvestir outro.
O que precisa o Governo – aqui incluo as administrações estaduais e municipais – é entender de uma vez por todas, que turismo é investimento, cujos benefícios são enormes, não só pelo retorno que proporciona aos cofres públicos, mas também pelo que representa para a comunidade, uma vez que impulsiona dezenas de segmentos do meio produtivo.
Em suma, não será com a retirada de recursos de uma entidade como o SEBRAE que a incompetência ou a inapetência dos governos conseguirá alavancar o turismo. Primeiro, é preciso mudar a cabeça, dar ao setor a atenção que merece. Sem isso, com tudo o que tem de maravilhoso para atrair visitantes estrangeiros, o Brasil continuará patinando, sem lograr ultrapassar – como acontece há anos – a barreira dos seis milhões de turistas/ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *